Flor Alma Espanca

Sinopse:
Um dia como os outros este de 8 de Dezembro. Corria o ano de 1894. Não nos dizem as crónicas
se o frio era muito ou pouco, se chovia ou se, a noite, estava com bom lugar. Rectificamos. A
noite era de sete para oito na cronologia dos dias. Foi nessa noite que em Vila Viçosa nasceu
uma menina. O nome da mãe consta dos registos. Antónia da Conceição Lobo. E falamos da mãe
porque, até á altura da sua nascença, o pai era incógnito. Apenas se declara como progenitor na
noite do nascimento da filha. Dá pelo nome de João Maria Espanca. E nessa mesma noite o nome
da nascida havia de ser feito. Assim ficou como Flor Bela de Alma da Conceição. É sempre bom
quando tudo acaba em bem sabendo-se, de antemão, que a nascida não era desejada nem do
lado da mãe, nem do lado do pai. Porém nasceu. Sã e escorreita. E uma vida ia começar.

Produção:
Grupo Teatro Renascer

Género:
Biográfico, Drama, Musical

Texto:
Coautoria de Leandro Vale e Grupo de Teatro Renascer
Exercício Final da Ação de Formação do Grupo de Teatro Renascer

Encenação:
Vera Gomes

Assistente de Encenação:
João Gomes

Personagens:
Narradoras – Rita Marinheiro e Catarina Ferreira
Pai – Manuel Marinheiro
Mãe – Ana Carolina Ribas
Florbela (em pequena) – Lara Viela
Florbela Espanca – Vera Gomes
Rapaz 1 – Rui Tavares
Rapaz 2 – Rui Nunes
Rapaz 3 – Américo Gomes
Alberto Moutinho – João Gomes
António Guimarães – Rui Nunes
Mário Lage – Américo Gomes
Homem – Armando Marinheiro
Mulher – Jéssica Soares
Coro – Conceição Nunes, Carlos Costa e Fabiana Moreira

Cenografia:
Bricopal

Contrarregra:
Manuel Gomes